Skip to content

KETCHUP NÃO ABRE FÁCIL

Spread the love

Sucesso exige luta!

Semana passada foi a uma pizzaria. Todo mundo comia enquanto uma de nossas amigas tentava desesperadamente abrir o ketchup. Ela puxava o saquinho de um lado, fazia força do outro, tentava com toda a energia que ainda tinha rasgar aquele plástico maldito que parecia invencível; seu rosto expressivo não negava a raiva que ia brotando aos poucos. Foi nesse momento que ela me olhou, ainda indignada e, disse o quanto eu deveria fazer um texto sobre os ketchups que se dizem abrir fácil, mas na verdade, não abrem. Eu não tive dúvidas que ela estava certa!

Minha cabeça, então, girou trezentos e sessenta graus pensando em todas as possibilidades, profundas e inesgotáveis, que o ketchup que não abria fácil podia oferecer. Ele era um mar de descobertas. Um oceano de chances.

No entanto, a maior delas, aquela que mais fazia meu coração latejar de certeza, falava do sucesso. Sim, katchups me lembravam do sucesso.

É que quando olhamos a vida do outro, de longe e com medo da nossa, é como se lêssemos apena o rótulo e enxergássemos, nas conquistas alheias uma fina linha pontilhada, com uma grande e reluzente seta no fim, indicando como foi fácil chegar até ali. A seta, gentilmente nos diz o quando não houve esforço e como tudo veio assim, tal qual milagre, sem ser necessário empenho, sem ser necessário jeito, sem ser necessário saber abrir o pacote da maneira certa.

O sucesso do outro é sempre um saquinho plástico de ketchup que supostamente abre fácil, mas que no fundo é difícil, dói os dedos, exige uma técnica para rasgar no local correto ou, quem sabe, uma pitada de violência, quando com urgência, decidimos rasgar na boca mesmo a embalagem e puxar no dente as oportunidades que a vida apresenta. Sucesso exige luta!

E nessa comparação boba, simples e até ingênua entre crescer na vida e abrir um ketchup, ficou para mim a certeza de que, na maioria das vezes, pensamos apenas nos resultados e não nos processos – intensos, cansativos e muitas vezes frustrantes – que esses resultados exigem.

Olhamos as cenas das vidas que não são as nossas, as cenas das telas que na maioria das vezes não são a vida, passarem rápido demais. Não prestamos atenção no suor que cai diariamente, não valorizamos a alegria das pequenas vitórias, não encaramos os riscos, não nos jogamos nos desafios e não enxugamos as lágrimas que derramamos sem ninguém ver. Pensamos que tudo vem fácil porque assim fizeram parecer. Pensamos que sucesso é ganhar, quando na verdade, sucesso é merecer.

Nossa amiga da pizzaria, depois de uma luta vigorosa, comeu enfim, realizada, o ketchup e, talvez, a maioria das pessoas da mesa não saiba até hoje o quão difícil foi até que ela chegasse lá!

Be First to Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

www.000webhost.com